• Acenm/CDL -

Notícias

Postado em 27 de Dezembro de 2017 às 15h28

Mutirão é prorrogado e dívidas podem ser renegociadas até quinta-feira na PGE

Jurídico e Tributário (77)SEFAZ-MT (33)
Acenm/CDL A renegociação de dívidas com o Estado de Mato Grosso foi prorrogada e os contribuintes terão até a quinta-feira (28) para aproveitar as vantagens do Mutirão Fiscal. O atendimento começa...

A renegociação de dívidas com o Estado de Mato Grosso foi prorrogada e os contribuintes terão até a quinta-feira (28) para aproveitar as vantagens do Mutirão Fiscal. O atendimento começa nesta terça-feira (26), e será feito na sede da Procuradoria Geral do Estado (PGE). Os acordos foram realizados na Arena Pantanal entre os dias 11 e 21 deste mês.

De acordo com a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), nesta quarta e quinta-feira o atendimento será feito das 8 às 18 horas. A entrega de senhas termina às 16 horas.

Os descontos podem chegar a até 100% dos juros e multas. Os contribuintes poderão renegociar suas dívidas tributárias e não tributárias. As chamadas dívidas não tributárias são oriundas de multas e taxas do Detran, Secretaria de Meio Ambiente, Indea, Procon e Ager. As tributárias são relativas à dívidas de ICMS e IPVA, por exemplo, que podem ser renegociadas através do Refis.

Fonte: Olhar Direto/Agro Olhar
Foto: Gcom-MT/Mayke Toscano

Veja também

Proposta para o desenvolvimento do Polo tecnológico de Nova Mutum é apresentada em reunião entre poder público e sociedade civil organizada07/06/16Acenm/CDL avalia positivamente a proposta O primeiro passo para a implantação do polo tecnológico no município de Nova Mutum foi dado (31/05) terça-feira, quando foi realizada no Sindicato Rural a reunião entre poder público e sociedade civil organizada sobre políticas públicas para o desenvolvimento do polo de inovação de Nova Mutum, atração de empresas de tecnologia......
Cinco aplicativos para te ajudar no controle do orçamento08/07/16 “As pessoas que estão com as contas desequilibradas e dão início ao processo de planejamento demoram de seis meses a dois anos para trazê-las de volta para o controle”, explica a consultora de investimentos da......

Voltar para Notícias