Aba 1

Postado em 11 de Agosto de 2020 às 17h21

Ministério da economia: 168 mil empresas foram abertas em julho

Fomento (82)Economia e mercados (152)

As microempresas representam o maior número de novos negócios no país.

O Brasil registrou no mês de julho um saldo positivo de 168.492 empresas abertas, segundo dados do Mapa de Empresas, ferramenta disponibilizada pelo Ministério da Economia. O número representa uma queda de 9% no saldo em relação ao mês de junho.

No total, 250.308 empresas foram abertas no período, um recuo de 5,7% na comparação com o mês anterior, que registrou a abertura de 265.647 empresas.

O número de empresas fechadas em julho foi de 81.816, ante 80.336 em junho - aceleração de 1,8%. Com isso, o Brasil fechou julho com cerca de 18.990.039 empresas ativas.

Os estados com os maiores registros de crescimento de abertura de novos negócios em julho, comparado a junho, foram Alagoas, com aumento de 19,82%, seguido por Rio Grande do Norte 12,51% e Pernambuco 11,72%. O Amapá foi o estado que registrou o maior aumento no número de empresas fechadas na comparação com o mês de junho: 34,07%.
As atividades econômicas que mais abriram novos negócios no período, na comparação mensal, foram a de preparação de documentos e serviços especializados de apoio administrativo, com crescimento de 7,52%, e comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, que cresceu 1,61%.

Entre as empresas fechadas, os destaques foram os negócios no segmento de comércio varejista de mercadorias em geral, (minimercados, mercearias e armazéns), com avanço de 11,81%. Já entre as lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares, houve aumento no número de fechamentos de 7,08%, na comparação com junho.

MEIs predominam

No acumulado do ano, as microempresas representam o maior número de novos negócios no país. Segundo os dados do Ministério da Economia, das 1.706.545 empresas abertas nos sete primeiros meses do ano, 95.46% são microempresas, que contam com até dez empregados. Dessas novas microempresas, cerca de 90.29% são microempreendedores individuais.

O empreendedor no Brasil leva, em média, três dias para abrir uma empresa no país, de acordo com os dados de julho do Mapa de Empresas. O número representa um recuo de 5,56% comparado ao mês de junho, quando o tempo registrado foi de três dias e 4 horas.

O Distrito Federal continua na dianteira de unidade da Federação em que um negócio é aberto mais rápido (23 horas) e a Bahia onde o empreendedor leva mais tempo para abrir uma empresa (oito dias e 20 horas).

Fonte: Portal Contábeis

Veja também

Parceria entre Acenm/CDL e Caixa acelera análise de crédito para Pronampe08/07/20Empresas interessadas devem procurar a Acenm/CDL para receber o atendimento prioritário Empresas associadas à Acenm/CDL passam a ter uma via mais rápida para buscar a nova linha de crédito GiroCaixa Pronampe, oferecida pela Caixa Econômica Federal, no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). A associação firmou nesta terça-feira (7) uma parceria com a agência da Caixa de Nova Mutum,......
Acenm/CDL cancela Expocomércio 202030/04/20Entidade espera retomar o evento em 2021, após a normalização do cenário econômico hoje abalado pela Covid-19 Após reunião virtual na manhã de hoje (30), as diretorias da Associação Comercial e Empresarial de Nova Mutum (Acenm) e da Câmara de Dirigentes Lojistas de Nova Mutum (CDL) decidiram, por unanimidade, cancelar a......

Voltar para Notícias

Acesse o regulamento no anexo a seguir:

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.