Aba 1

Postado em 27 de Dezembro de 2019 às 08h18

Aumento do ICMS em MT vai deixar produtos mais caros em 2020, dizem empresários

Empresários de vários setores disseram que vão repassar aumento aos consumidores, um deles é o de medicamentos. Remédios vendidos no estado podem encarecer entre 18% e 37%, segundo o Sindicato das Farmácias.

Por Leandro Maia, TV Centro América

A partir de janeiro os preços dos produtos devem subir. A reforma tributária do governo do estado entra em vigor já no começo de 2020. O ICMS - Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços - cobrados das empresas vai subir e o consumidor deve sentir esse o impacto nos preços.

Os impactos da reforma tributária em Mato Grosso devem afetar vários setores do comércio. Construir ou reformar a casa, por exemplo, deve ficar de 6% a 20% mais caro a partir de janeiro.

"Produtos, como telhas de amianto, deve ter reajuste de 7,8% e tintas reajuste de 9,9%", disse o presidente da Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção de Mato Grosso, Paulo Esteves.

Até agora as empresas pagavam o ICMS no ato da compra do produto e, com a minirreforma tributária do governo do estado, o imposto será cobrado com base em um percentual aplicado em cima do valor pago pelo produto tributado.

Segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Célio Fernandes, o empresário vai ter um crédito sobre a compra e vai pagar sobre a venda. "A alíquota de 17% sobre a venda dos produtos é que vai gerar esse disparate grande de diferença, que vai acabar afetando o consumidor" , afirmou.

Para ele, a mudança pode deixar o estado menos atraente para as empresas em comparação com outros estados.

"A competitividade interna não é afetada tanto, mas o que afeta é a competitividade de mato Grosso com outros estados e principalmente com os produtos vendidos pela internet", avaliou Fernandes.

Um dos setores afetados é o de medicamentos. A previsão é que o preço dos remédios vendidos no estado fiquem mais caros entre 18% e 37%, segundo o Sindicato das Farmácias (Sincofarma).

A Associação de Supermercados de Mato Grosso (Asmat) e Sindicato do Comercio Varejista de Gêneros Alimentícios de Mato Grosso (Sincovaga), que representam os supermercados e o comércio varejista, dizem que o reajuste médio será entre 8% e 10% .

Fonte: G1

Veja também

Acenm e La Salle assinam convênio para ofertar pós-graduação em Nova Mutum17/04/14Curso de Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios será realizado na modalidade presencial, na sede da Acenm/CDL A Faculdade La Salle de Lucas do Rio Verde-MT, por meio de convênio com a Associação Comercial e Empresarial de Nova Mutum (Acenm) e com apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas de Nova Mutum (CDL), ofertará seu Curso de Gestão Estratégica de Negócios na cidade de Nova Mutum. O convênio foi assinado na tarde desta quarta-feira (16), durante coletiva de......
39% DOS CONSUMIDORES VÃO GASTAR MENOS NA PÁSCOA, REVELA PESQUISA DO SPC BRASIL12/04/1757% dos brasileiros pretendem comprar na data; 21% vão participar de ‘amigo chocolate’ e mais de um terço dos entrevistados vão às compras mesmo com dívidas em Com a economia ainda em recessão e o desemprego crescente, as vendas na Páscoa deste ano não devem apresentar crescimento expressivo. Uma sondagem realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e......
Ministério Público do Estado do Mato Grosso movimenta campanha contra corrupção23/08/16Promotora de Justiça incentiva honestidade a partir de nossas próprias condutas diárias em reunião na Acenm/CDL Aconteceu no dia 09 de agosto uma reunião de iniciativa do Ministério Público do Estado de Mato Grosso em parceria com a Associação Comercial e Empresarial de Nova Mutum e Câmara de Dirigentes Lojistas......

Voltar para Notícias