Aba 1

Postado em 19 de Junho de 2020 às 09h06

Abertura de empresas cai 29,5% em abril

Fomento (77)Economia e mercados (144)

Dados do governo mostram que a quantidade de abertura de empresas teve queda durante pandemia.

O Ministério da Economia divulgou hoje o Boletim do Mapa de Empresas, que apontou uma grande queda na abertura de negócios durante o mês de abril neste ano. Foram registradas 189.878 novas empresas, o que representa uma queda de 29,5% em relação ao mesmo mês de 2019.

Segundo o governo, a crise econômica gerada pela pandemia de Covid-19 é um dos principais fatores para redução de novos empreendimentos.

No fechamento, os dados também mostram queda. Foram 58.623 negócios encerrados, uma redução de 41,1% na comparação com abril de 2019 (99.468).

Para pasta, há duas principais possibilidades para explicar esse cenário. A primeira é o fechamento de juntas comerciais com as medidas de isolamento social e a segunda é a postergação da decisão dos empreendedores, diante das ajudas emergenciais oferecidas pelo governo.

Tendências de cenário

Segundo o secretário especial adjunto de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Gleisson Rubin, ainda é preciso esperar os próximos resultados do levantamento para verificar a tendência para a abertura e fechamento de empresas.

"Abril foi o mês com maiores percentuais de isolamentos social, consequentemente o efeito sobre a atividade econômica foi mais severo. Já em maio nós observamos o início da retomada da atividade produtiva e isso pode vir a impactar os indicadores de abertura de empresa e também o fechamento".

De janeiro a abril, foram abertas 1.038.030 empresas, o que representa aumento de 1,2% em relação ao último quadrimestre de 2019 e queda de 1,1% quando comparado com o primeiro quadrimestre de 2019.

No mesmo período, foram fechadas 351.181 empresas, queda de 6,6% no quantitativo de empresas fechadas se comparado com o último quadrimestre de 2019 e recuo de 12% em relação ao mesmo período no ano anterior.

Com esses resultados, o saldo positivo ficou em 686.849 empresas abertas, recorde na série histórica iniciada em 2010. O número total de empresas ativas chegou a 18.466.444. Segundo Rubin, o resultado do quadrimestre indica que o período anterior à pandemia "mostrava forte retomada a atividade empreendedora".

São Paulo é o estado com o maior número de empresas no Brasil, com 5,2 milhões, sendo 295 mil abertas no primeiro quadrimestre de 2020. Em seguida aparecem Minas Gerais com quase 2 milhões de empresas, 115 mil abertas no 1º quadrimestre, e o Rio de Janeiro com 1,7 milhão das quais 101 mil foram abertas no período.

Segmentos empresariais

Entre as atividades mais exploradas pelas empresas abertas estão Cabeleireiros, manicure e pedicure, com 55.984 empresas abertas, crescimento de 9,1% em relação ao último quadrimestre de 2019 e queda de 7% em relação ao 1º quadrimestre do ano passado. Nesse segmento, 825.026 empresas ativas.

O Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios teve 51.064 empresas abertas, queda de 14,4% em relação ao 3º quadrimestre de 2019 e de 14,6% em relação ao 1º quadrimestre do ano passado. São 1.101.983 empresas ativas.

No caso da Promoção de vendas, foram 43.275 empresas abertas, queda de 2,6% em relação ao 3º quadrimestre do ano passado e crescimento de 13,5% em relação ao 1º quadrimestre de 2019, com 364.780 empresas ativas).

Fonte: Portal Contábeis

Veja também

Dia dos Pais deve movimentar R$ 18 bilhões no varejo04/08/20 Embora os efeitos da crise causada pela Covid-19 ainda estejam impactando negativamente na renda da população e no cenário de desemprego elevado, 58% dos brasileiros pretendem presentear no Dia dos Pais este ano, o que significa que 91,2 milhões de consumidores devem ir às compras. É o que aponta pesquisa realizada pela CNDL (Confederação Nacional de dirigentes......

Voltar para Notícias

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.