Aba 1

Postado em 05 de Março às 10h52

FCDL/MT e CDLs de Mato Grosso pedem ao governo do Estado revisão do último decreto

Parcerias e Apoios (29)Jurídico e Tributário (128)Institucional (34)Economia e mercados (156)

Publicado em: 04/03/2021 ás 16:57:00Autor: Assessoria de Imprensa - FCDL/MT

Diante do forte impacto econômico, sem reversão para muitas empresas mato-grossenses, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL/MT), atendeu a solicitação das 58 CDLs de Mato Grosso que elaboraram um documento solicitando ao governador do Estado, a flexibilização imediata do Decreto Estadual 836, de 01 de março de 2021, que impõe medidas restritivas, como meio de conter a disseminação da Covid-19 em Mato Grosso. O documento foi protocolado pelo presidente da FCDL/MT, Ozair Bezerra, no Palácio Paiaguás, na tarde desta quinta-feira (04.03).

No documento as CDLs relatam que é um momento grave de saúde pública, mas também é preciso pensar no impacto que as medidas podem causar nos empresários e trabalhadores, onde se calcula um prejuízo como no setor de bares e restaurantes de aproximadamente R$ 154 milhões de reais, nos 15 dias de duração do decreto em vigor em Mato Grosso.

As instituições também solicitam ao governador uma análise sobre um estudo feito através do Centro de Pesquisas Socioeconômicas - CISE de da Universidade Estadual de Mato Grosso da CDL Sinop, que aponta uma previsão de impactos do Decreto 836, com prejuízo de R$ 360 milhões ao PIB de Mato Grosso. O segmento de Serviços, representando 63,3% do PIB do Estado.

Já no ramo de bares e restaurantes, o segmento mais afetado pelo toque de recolher, a estimativa é que atinjam 23.233 empregos diretos e 46.466 empregos indiretos.

Além da flexibilização da medida, a FCDL/MT e as CDLs sugerem algumas ações ao governo, que podem ajudar no controle da disseminação do coronavirus, como a implantação de protocolos para monitoramentos de sintomas iniciais; intensificação na Imunização da população com vacina; adoção de protocolos para prescrição do Kit Covid em fase de sintomas iniciais e de maneira preventiva; Investimento na Prevenção com disponibilização de vitaminas e outras; rígidos protocolos de isolamento de casos suspeitos e confirmados; preservação da população que fazem parte do grupo de risco; reativação de UTIs e/ou Hospitais de Campanha; utilização de prédios públicos, como Estádios e Ginásios para atendimento à população; Intensificação das fiscalizações em estabelecimentos que não cumprem os Protocolos de biosseguranças. Campanhas de conscientização e distribuição de materiais orientativos; Investimento para ampliação e facilitação para testagem; Ampliação do sistema de transporte público e ampliação de horários de modo a limitar a quantidade de passageiros; Distanciamento social, uso de máscara facial e disponibilização de álcool gel obrigatórios em todos em segmentos, públicos e privados; Segmentação de protocolos para os mais variados tipos de comércio; Sanitização de espaço públicos e privados.

O documento reforça que os empresários já adotam medidas de segurança dos protocolos sanitários estabelecidos para cada segmento, além de já orientarem o cumprimento do distanciamento social, uso de máscara facial e disponibilização de álcool gel dentro dos seus estabelecimentos, incentivando o serviço de delivery, fixação de material orientativo nos estabelecimentos, prevenindo colaboradores do grupo de risco, bem como sanitização periódica dos estabelecimentos.

"É um momento de muita tensão para todos os empresários, em especial aqueles que estão a beira de ter que fechar as suas portas por não suportarem todo o prejuízo que será gerado mais uma vez por conta das medidas do governo do Estado, então, pedimos clemência ao nosso governador e um olhar para esses empresários e para os cidadãos que ficarão desempregados e que não terão como levar o sustento para suas famílias. É de fato um momento desesperador para todos nós", afirmou Ozair Bezerra.

Fonte: FCDL MT

Veja também

Novo decreto normatiza funcionamento de empresas em regime de plantão em Nova Mutum23/03/20O sistema consiste no atendimento a portas fechadas, com tele-entrega/delivery, sem que o consumidor adentre no estabelecimento. A medida vale até o dia 5/abril Após uma avaliação técnica do Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus do Município de Nova Mutum, do qual a Acenm/CDL faz parte, a Prefeitura publicou o decreto nº 040, de 23 de março de 2020, que estabelece medidas temporárias restritivas e emergenciais às atividades privadas para prevenção ao contágio pelo novo......

Voltar para Notícias

Acesse o regulamento no anexo a seguir:

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.