Aba 1

Postado em 06 de Julho de 2020 às 10h40

Faturamento das empresas cresceu 3,3% na última semana de junho

Economia e mercados (144)Jurídico e Tributário (116)

Queda na arrecadação do ICMS chegou a R$ 79.840 milhões

Por Ademar Andreola | Sefaz-MT

O faturamento tributável das empresas mato-grossenses entre os dias 22 e 28 de junho, teve um crescimento de 3,1% em relação à média anterior ao início da pandemia da Covid-19, em março deste ano. É o que indica o 13º boletim econômico especial divulgado pelo Governo do Estado nesta terça-feira (30.06).

No entanto o boletim acusa que a queda na arrecadação do ICMS chegou a R$ 79.840.874,54 ou 8,8% a menos do que no início da pandemia da Covid-19. É importante destacar que a arrecadação de junho, via de regra, reflete a movimentação do mês anterior, no caso maio. Normalmente as empresas apuram e recolhem o tributo no mês seguinte ao faturamento.

Na semana pesquisada foram emitidos cerca de 8,58 milhões de documentos fiscais eletrônicos (NFe, NFCe e CTe) totalizando um faturamento semanal de R$ 7,9 bilhões, superando os R$ 7,66 bilhões da semana anterior.

A agropecuária continua sendo o setor com o desempenho mais prejudicado. A queda no faturamento tributável caiu em relação à semana anterior e ficou -6,3% menor em relação à média anterior a Covid-19. Na última semana o faturamento diário foi de R$ 2,64 bilhões.

Deve-se considerar também que parte desse desempenho se deve a fatores sazonais do setor, como por exemplo, plantio, colheita e circulação dos grãos.

Comércio e Serviços apresentaram faturamento positivo de 6,6%. Em relação à média anterior a Covid-19 os setores do comércio e serviços apresentaram os seguintes resultados: atacado +12,6%; varejo +1,3%; combustíveis e lubrificantes -15,8% e veículos e autopeças +7,9%.

A indústria mais uma vez apresentou resultados positivos. Na última semana, o faturamento tributável da indústria cresceu em relação à semana anterior e ficou também 13,5% acima em relação à média anterior a Covid-19.

No período de 22 a 26 de junho, a agroindústria e a indústria de bebidas apresentaram queda em relação à semana anterior. No entanto, todas as indústrias selecionadas apresentaram faturamento superior à média semanal do período pré Covid-19: agroindústria +7,5%, indústria frigorífica +9,2%, bebidas +5,1% e etanol +11,2%.

Metodologia

O documento é elaborado pela Secretaria Adjunta da Receita Pública da Secretaria de Fazenda (SARP), com a colaboração da MTI e mostra os impactos da Covid-19 sobre o faturamento das empresas no Estado e, também, sobre a receita estadual. O boletim pode ser também acessado no site da SEFAZ, na opção "Tributário".

O boletim considera informações extraídas dos sistemas informatizados da Sefaz, com base nos dados dos documentos fiscais eletrônicos emitidos diariamente e outras informações fiscais.

Nesta 13ª edição, as informações levantadas consideraram a média de faturamento diário de janeiro e fevereiro de 2020 em comparação com o faturamento diário registrado de 16 de março a 28 de junho. Os técnicos da Sefaz-MT ressaltam que podem existir distorções por outros eventos sazonais não considerados.

Fonte: SEFAZ/MT

Veja também

Copom reduz juros básicos para 4,25% ao ano, o menor nível da história06/02/20 Comitê indicou que manterá Selic neste patamar por um longo período Pela quinta vez seguida, o Banco Central (BC) diminuiu os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa Selic para 4,25% ao ano, com corte de 0,25 ponto percentual. A decisão era esperada pelos analistas financeiros, segundo a pesquisa......
Brasil registra 231 mil empresas abertas em outubro11/11/20 Os dados dos registros de empresas no Brasil são do Mapa de Empresas, ferramenta digital para acompanhamento dos registos empresariais no país. Em outubro, o Brasil registrou um saldo positivo de 231.253 novos negócio no mês de......

Voltar para Notícias

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.